Como nasce um herói

Home  /  Cotidiano  /  Como nasce um herói

Como nasce um herói

Post type Image 29
dez,2015
Author Comment
Blog Post Like
5

Pois é, hoje estava refletindo um pouco sobre esse tema, após ler um questionamento sobre o fato de tratar o Arthur como um herói. Perguntavam se o transplante tivesse dado errado o que poderia ser do pequeno já que tamanha responsabilidade estava atribuída a ele.

Bom, acredito que devemos criar nossos filhos para serem lutadores, independente de no fim dar certo. As chances dos que lutam sempre serão maiores do que daqueles que esperam. Talvez pela máxima passada nos cinemas e desenhos, em que heróis sempre vencem, estejamos confundindo “ser herói” com “ser campeão”.

Os heróis são muito mais que campeões, sem desmerecer os vencedores, mas um ato heroico não se dá por pensar na promoção pessoal e sim no próximo. Além disso, não deixamos de enxergar nos bombeiros uma corporação de heróis, mesmo que não tenham sempre êxito em suas ações.

Têm muitos heróis perto da gente, mais do que se imagina, é que a maioria deles passa despercebida. O importante é que estão lá quando precisamos.

Simplificando, eles colocam a vida e bem estar do seu semelhante acima de seus medos ou frustrações. Aprendi que não há idade para demonstrar esse comportamento

Então, se o transplante tivesse fracassado Arthur ainda sim seria nosso herói, pois enfrentou bravamente as agulhadas e o procedimento, sempre com a vontade maior que era ajudar seu irmão. Não conceder esse título a ele seria uma injustiça diante de um ato tão lindo.

Aproveito para deixar aqui minha homenagem aos heróis da vida real. A todos vocês que por menor que pareça a ação pensaram nos outros antes de pensar em si, minha gratidão.

infografico

 

Sobre o Autor

Author
Octavio Fernandes
Analista de Sistemas acabei extrapolando um pouco meus horizontes. Gosto de observar e analisar tudo que vejo, ouço e sinto. Acredito que a vida é muito mais que estudar, trabalhar, ganhar dinheiro... a vida é para ser curtida em todos os momentos, até nos mais difícieis! E olha que disso entendo...